Da carta literária à carta “social”: a trajetória de um gênero textual